30 de abril de 2013

Quando é que os homens de lei acordam para pôr fim a tanta barbaridade??? Continuação e FIM.



...O rapaz tem um objeto cortante na mão direita que, provavelmente, é uma faca e começa a cortar o pescoço da jovem. Ouvem-se gritos - não muito altos - porque, ao primeiro corte profundo a jovem deve ter ficado sem forças.


O rapaz vai cortando em toda a volta e só pára quando consegue despegar a cabeça do resto do corpo. Feito isto, exibe-a, como se fosse um troféu e a câmara mostra a cara da jovem - em grande plano - durante alguns segundos. O corpo da jovem, que continua de joelhos, cai para trás e percebe-se que a cabeça vai ser enterrada - não se vê - mas apercebemo-nos pelo manuseamento da pá.

Perante esta carnificina, esta crueldade, esta monstruosidade, esta morte a sangue frio e o sofrimento daquela jovem, uma pergunta impõe-se: serão aqueles jovens, seres humanos, demónios ou feras? É, simplesmente, repugnante e intolerável.

Não sou a favor da pena de morte, mas todos os que participaram mereciam sofrer os mesmos horrores mas em centuplicado.

Num dos muitos comentários alguém escrevia: "Que terá ela feito?"

Ela era jovem. Poderia ter traído o namorado. Se fosse mãe poderia ter dado umas palmadas no filho/a. Poderia mesmo ter causado grande sofrimento aos pais por ter feito algo de grave e condenável. Porém, nada justificaria aquela morte horrorosa e com tanto sofrimento. Nem o animal mais feroz ao cimo da terra merecia uma morte tão cruel. E, aqui, lembro uma frase retirada da Bíblia mas que muitos esquecem: Jesus disse aos que lançavam pedras a Maria Madalena: "Quem nunca pecou atire a primeira pedra!"

E aqueles assassinos? Será que têm coração? Não creio. Serão condenados? Duvido. O local devia ser deserto, a avaliar pelo pouco que se vê em redor. Decerto, enterraram o corpo e a jovem, pura e simplesmente, desapareceu sem deixar rasto.

Analisando a maneira como agiram, só posso chegar a uma conclusão:  eles premeditaram tudo ao pormenor e, como se nada nem ninguém lhes impusesse qualquer receio, filmaram tudo e puseram o vídeo a circular no Facebook, a maior das Redes Sociais, para que o Mundo inteiro visse do que eles eram capazes. Parece um aviso: "ai de quem se atreva a provocar-nos ou a contrariar-nos!"

Voltando à jovem. Ela podia não ter ninguém. Mas também podia ter pais, irmãos, filhos, marido e outros familiares que sofreram com a sua morte ou desaparecimento. Aqueles bárbaros pensaram nisso? NÃO! Só encontro dois nomes para classificar aquele ato sem perdão: SÁDICOS E ASSASSINOS.

Para refletir: que Mundo é este em que vivemos? Que Mundo é este em que se tira a vida a uma pessoa, quem sabe, inocente? Quais os valores que aqueles jovens defendem? Penso que sei a resposta: VIOLÊNCIA GRATUITA!

Será que este crime hediondo vai ficar impune? E são estes jovens os homens de amanhã? Que valores terão para transmitir aos seus descendentes?
Há um provérbio antigo que diz: "quem com ferros mata, com ferros morre". Mas creio que nem sempre isso acontece.

Reconheço que o facto de escrever sobre este crime, no meu blog - que tem pouca projeção - não vai alterar uma vírgula, nem vai fazer mudar os sentimentos daqueles que, porventura, lerem este comentário.  No entanto, se todos fizessem um esforço, o Mundo não seria esta selva onde impera a lei do mais forte e do "salve-se quem puder."

O que vou escrever a seguir não é, de modo nenhum, para fazer publicidade ao livro que publiquei. "A Princesa Descalça e Outras Histórias" é um livro de contos infanto-juvenis onde, em cada história, os personagens são confrontados com situações que os levam a meditar e a pensar também nos outros. Cada uma das histórias encerra uma mensagem de amor ao próximo, de solidariedade, de boa-vontade, de entre-ajuda, sentimentos que vão culminar em outros dois que, a meu ver, estão acima de todos. PAZ E BEM-ESTAR. Quem não se sentiria feliz rodeado de paz e bem-estar interior?

Bem sei que não é por escrever sobre esses sentimentos que as pessoas vão mudar as suas atitudes, a sua maneira de ser, de pensar e de agir. Seria desejável que assim fosse para que o Mundo se tornasse um Paraíso e não uma Selva.

E, para terminar, permitam-me que transcreva para a tela, o prefácio do meu livro que é também de minha autoria:

a) Muito haveria a escrever sobre o individualismo que grassa pelo Mundo e que transforma os sentimentos enraizados no coração de cada um de nós. Por vezes, uma palavra de conforto, um sorriso, um pequeno gesto, ou apenas um simples elogio, podem fazer a diferença. E, aqueles dias cinzentos semeados de incertezas e de falta de esperança que tantas vezes afetam o ser humano e o levam a pensar que a vida já não faz sentido, podem transformar-se em dias luminosos, raiados de sol. E, o resultado final traduzir-se-ia, apenas, em duas palavras: Felicidade e Gratidão.
Poderíamos até mudar o Mundo. Dependeria, apenas e só, da mentalidade e da vontade de cada um.

a) Prefácio do livro "A Princesa Descalça e Outras Histórias", da autoria de Maria Helena Dias Pereira Mota - eu própria -  publicado em 2011 na Editora LivroNovo, S. Paulo - Brasil.

Quero afirmar, mais uma vez, que este comentário traduz, apenas, a minha opinião. Não esquecendo que, se alguém quiser deixar um comentário, eles serão bem-vindos e todos terão uma resposta. A função de comentários de opinião é  essa mesma: que cada um se possa expressar livremente desde que respeite a opinião do outro.
                                            FIM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...